Det här är en gammal arkiverad spelning

Guds Pengar

Laia

Somos cansados e baixos
Sentados vertemos o que vem dos cachos
Temos memória que é curta
E somos famosos por ter muito encaixe

Nem filhos de suevos e visigodos
Somos primos de pretos, de zucas e lordes
Não somos daqui nem de terra de brancos
Criámos a cor de velhos em bandos

Temos horror do nosso Narciso
Ficámos sem nós quando era preciso
Sujos e tristes como o preto do mar
Humildes e curtos sem ter que pensar

Uma matilha de nadas e cosmopolitas
Damos o chão a quem necessita
Navegávamos dantes por mares longínquos
Hoje nós temos a memória no abrigo


Portugalidade. Alguém que decida o que é isso. Qual a sua semântica. Até quando o ...

Läs mer